• Baltoro Insights

Startup: o que é e quais são os tipos existentes

Updated: Jan 24

Cada vez mais em alta, este modelo empresarial tomou conta do mercado e é ideal para quem deseja empreender de forma inovadora.

O que é uma startup?


O termo startup surgiu nos Estados Unidos, mais precisamente na região do Vale do Silício, no estado da Califórnia, mundialmente reconhecida pela criação e desenvolvimento de inovações tecnológicas.


Apenas algumas décadas depois, já durante o período chamado de “bolha ponto-com” - quando a internet se popularizou, o que permitiu a criação de diversas “empresas.com” -, ocorrido entre 1996 e 2001, este conceito de modelo empresarial enfim chegou ao Brasil.


Startup, basicamente, se traduz em modelos de negócio que se encontram em estágio inicial de operação e que sejam inovadores, repetíveis e escaláveis, atuando em cenários de extrema e constante incerteza.


Para que um modelo de negócios seja considerado uma startup, é preciso que possua essas três características conjuntamente, devendo ser: inovador, repetível e escalável.


Inovação


Inovação significa que o modelo de negócios deve apresentar soluções para problemas ainda não resolvidos, de forma até então não conhecida, bem como desenvolver produtos ou serviços totalmente novos e únicos, ou que ainda não tenham sido devidamente explorados no mercado.


Repetível


Repetível significa ter a capacidade de produzir o mesmo produto ou serviço diversas vezes, de forma ilimitada, mantendo-os disponíveis para aquisição por parte do público consumidor independente da demanda existente por eles.


Em outras palavras: ser repetível se traduz na possibilidade de produzir e reproduzir em larga escala de maneira ilimitada, replicando a experiência do produto ou serviço oferecido.


Escalável


Ser escalável significa crescer sem aumentar os custos. Ou seja, significa vislumbrar um aumento exponencial em receitas enquanto os custos crescem a um ritmo bastante lento, acarretando em maiores margens de lucro e acúmulo de muito mais riqueza.


Estas três características são inerentes às startups. Simplesmente não é possível denominar determinado modelo de negócios de startup caso alguma delas não esteja presente.


Contudo, embora toda startup possua estes três atributos em comum, é preciso destacar que elas se desdobram em tipos diversos. Dentre os principais, destacam-se as scalable startups, social startups, buyable startups, lifestyle startups, large company startups e small business startups, que passamos a analisar a seguir:


Scalable Startups


São modelos de negócio escaláveis e replicáveis, com grande potencial de crescimento, que precisam de investimento para crescer - já funcionam sem o investimento, mas precisam de capital de risco para expandir. o foco é abrir capital na bolsa ou ser comprado por algum investidor futuramente. Objetivo é gerar capital para depois ter suas ações na bolsa ou ser adquirida por investidores.


Em outras palavras: trata-se de uma pequena empresa com uma grande ideia de negócio que normalmente depende da existência de um investidor para crescer e expandir suas atividades.


Social Startups


As social startups tem como objetivo fazer a diferença no mundo. Por isso, o foco é promover ações sociais capazes de ajudar e mudar a realidade das pessoas, transformando o contexto e perspectivas sociais de alguma forma.


Social startups podem ser tanto organizações sem ou com fins lucrativos. Se o objetivo primordial for ajudar as pessoas, transformar a realidade social e cooperar positivamente com a comunidade onde atuam/estão inseridas, está caracterizada a social startup.


Neste modelo de negócios, o que importa é trazer alguma contribuição social relevante para a comunidade e para o mundo.


Buyable Startups


As buyable startups se caracterizam como modelos de negócio que necessitam de capital de risco para serem implementados e concretizados.


Por isso, para que a ideia seja colocada em prática, faz-se necessária a presença e aporte financeiro de investidores. O termo buyable diz respeito ao papel exercido por investidores no sentido de alavancar o negócio por meio de aplicações de alto risco e a consequente execução do projeto da startup.


Normalmente, as buyable startups são adquiridas posteriormente por empresas maiores. Um bom exemplo é o Instagram. O aplicativo era uma buyable startup até ser vendida - e antes mesmo de começar a dar lucro.


Lifestyle Startups


As lifestyle startups são aquelas criadas por empreendedores que, antes de tudo, desejam trabalhar fazendo aquilo que realmente gostam.


Neste modelo de startup, o foco principal não é necessariamente o enriquecimento, mas sim a possibilidade de desenvolver atividades que são de interesse ou mesmo o hobby dos sócios. Em outras palavras: os profissionais trabalham no sentido de fazer aquilo que verdadeiramente amam, não visando somente a obtenção de lucro.


Desse modo, as lifestyle startups normalmente são formadas por indivíduos que gostam, por exemplo, de artesanato ou culinária, e decidem elaborar materiais sobre esses assuntos (como livros, cursos, etc), gerando, assim, renda, enquanto trabalham com o que de fato gostam.


Large Company Startups


Já as chamadas large-company startups se caracterizam como grandes empresas que já atuam no mercado há algum tempo, mas que, apesar disso, precisam constantemente inovar, reinventar e adaptar seu modelo de negócios para sobreviverem.

Atualmente, o mercado é extremamente dinâmico, apresentando novos contextos, mudanças e demandas em um espaço bastante curto de tempo. Por conta disso, mesmo as empresas já consolidadas precisam encontrar formas de se manterem relevantes em meio a tantas transformações.


As large-company startups, por serem empresas de grande porte, são as que mais facilmente se adaptam às mudanças repentinas que ocorrem no mercado, possuindo mais estrutura e condições de superar momentos de crise e impactos econômicos com maior facilidade do que os outros tipos de startups.


Small Business Startups


As small-business startups são empresas formadas por empreendedores individuais iniciantes, que não possuem tanta experiência de mercado, e que não almejam a expansão do modelo de negócio. São, assim, negócios geridos e desenvolvidos em pequena escala.


Tratam-se de empresas muito importantes para movimentar a economia local, gerando emprego e renda em determinada região. Um mini-mercado, uma padaria ou loja virtual são bons exemplos de negócios que podem se caracterizar como small-business startups.

Canal de conteúdo e blog com ideias, tendências e informação para você entender no que pensa e acredita a equipe do Baltoro Group.

Insights | UPDATE

Mantenha-se sempre informado.

  • Instagram Baltoro Group
  • Linkedin Baltoro Group
  • Branco Facebook Ícone
  • Youtube Baltoro Group
  • Pinteres Baltoro Group

2019, Baltoro Insights. Baltoro Group, Todos direitos reservados.